Lista de nomes
Pesquisa
  OK
Morto e desaparecido
Audiovisual
Bibliografia
Eventos
História
Legislação
Notícias
Luiz Fogaça Balboni
Ficha Pessoal  
   
Dados Pessoais  
Nome: Luiz Fogaça Balboni
Cidade:
(onde nasceu)
Itapetininga
Estado:
(onde nasceu)
SP
País:
(onde nasceu)
Brasil
Data:
(de nascimento)
25/5/1945
Atividade: Professor e desenhista
UniversidadeUniversidade de São Paulo USP
   
Dados da Militância  
Organização:
(na qual militava)
Ação Libertadora Nacional ALN
Brasil
Partido Comunista do Brasil PC do B
Brasil
Nome falso:
(Codinome)
Matias
Prisão: 24/9/1969
São Paulo SP Brasil
Al. Campinas
Morto ou Desaparecido:
Morto
25/9/1969
São Paulo SP Brasil
Hospital das Clínicas
Clandestinidade
   
Dados da repressão  
Agente da repressão:
(envolvido na morte ou desaparecimento)
Firminiano Pacheco , Rubens Tucunduva , Sérgio Paranhos Fleury
Médico legista:
(envolvido na morte ou desaparecimento)
Antônio Valentini, Irany Novah Moraes
   
Biografia  
   
Documentos  
Artigo de jornal
Tomazela, José Maria. Família da vítima da ditadura cria parque. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 7 fev. 1999. Com o dinheiro que a família de Luiz Fogaça Balboni recebeu da indenização do Estado pelo reconhecimento de sua morte, foi criado o Parque Ecológico do Zizo em homenagem a sua memória, a 180 quilômetros da capital paulista, no município de São Miguel Arcanjo, nas terras da família dentro do Parque Estadual de Carlos Botelho. O parque está destinado em um primeiro momento aos cientistas e pesquisadores e o passo seguinte seria transformá-lo em Reserva Particular do Patrimônio Natural e destinar parte de sua área para o ecoturismo. Segundo Francisco Maia, Diretor do Parque Estadual de Carlos Botelho, as áreas particulares dentro do parque, como a do Parque Ecológico do Zizo, ampliam ainda mais a área preservada e formam uma barreira contra os predadores e os incêndios, além de possibilitar um levantamento mais amplo da biodiversidade.

Artigo de jornal
Balboni, Francisca Áurea Fogaça. Meu filho Luizinho. Nos bastidores de São Miguel, São Miguel Arcanjo, SP, (sem data). Texto da mãe de Luiz, lembrando, com saudades, a infância de seu filho em São Miguel Arcanjo, SP, as dificuldades financeiras que a família passou enquanto os filhos estudavam em São Paulo, as atividades políticas de Luiz e seus últimos momentos com o filho, antes de ser morto.

Foto
Foto original e preto e branco de rosto.

Relatório
Carta Mensal n. 6, São Paulo, de 31/03/70, incompleta. Documento do arquivo do DOPS, exaltando o esforço do Governo desde 31/03/64, na recuperação econômica, social e moral do país e manifestando a coesão dos que trabalham naquele DOPS frente à luta nesta missão revolucionária. Descreve a ação dos componentes da Ação Libertadora Nacional (ALN), citada como Aliança de Libertação Nacional, e seu confronto com os órgãos de repressão. Dentre os mortos ou desaparecidos políticos, constam neste relatório: Fernando Borges de Paula Ferreira, Luiz Fogaça Balboni e João Domingos da Silva, os dois primeiros mortos e o último ferido, em tiroteio no Largo da Banana (Barra Funda, São Paulo, SP), em 29/07/69, vindo a falecer posteriormente; e Carlos Marighella (morto), Joaquim Câmara Ferreira (foragido), Márcio Beck Machado (teria fugido para Cuba), Virgílio Gomes da Silva (preso) e Carlos Eduardo Pires Fleury (preso), todos citados segundo o cargo que ocupavam na ALN até 1969.

Relatório
Documento da Comissão Especial - Lei 9.140/95, Brasília, 1997. Relator: deputado Nilmário Miranda. Referente ao requerimento de Vital Fogaça Balboni, irmão de Luiz Fogaça Balboni, para o reconhecimento da morte e inclusão de seu nome nos termos da Lei 9.140/95. Traz as circunstâncias da morte de Luiz e o voto do deputado favorável ao deferimento do pedido. A primeira cópia inclui o voto de Nilmário.

Relatório
Relatório do Serviço de Informações do DOPS/SP, de 13/10/69, sobre a cidade de São Miguel Arcanjo, SP, onde Luiz Fogaça Balboni foi enterrado. Após o enterro, seu irmão afirmou que Luiz havia morrido como "herói e por um ideal". Consta na cidade que Luiz ia voltar para organizar um grupo e treiná-lo. Cita algumas pessoas ligadas a Fogaça ou à cidade que estão envolvidos com subversão. Acompanha, em anexo, cópias de fotos 3X4, impressões digitais, carteira habilitação e título eleitoral.

Relatório
Dois relatórios das circunstâncias da morte de Luiz Fogaça Balboni, elaborados pela Comissão dos Familiares dos Mortos e Desaparecidos Políticos em 03/05/96 e outro em 23/04/96, e enviados à Comissão Especial Lei 9.140/95.

Relatório
Relatório produzido pelo Comitê de Solidariedade aos Presos Políticos do Brasil em 02/73. Denuncia mortes de presos políticos aos Bispos do Brasil. Documento apreendido pelo DOPS em poder de Ronaldo Mouth Queiroz.

Folheto
Folheto intitulado "A aventura da vida", sobre o Parque do Zizo, criado em memória a Luiz Fogaça Balboni. Acompanha depoimento de Manoel Cyrillo, a última pessoa a estar com Zizo (Luiz) ainda vivo.

Ficha pessoal
Documento da Delegacia Especializada de Ordem Social, sem data, com foto de rosto numerada. Consta que Ruy foi indiciado pela sua participação no XXX Congresso da UNE, em Ibiúna, SP, e que em 24/09/69 teria participado de tiroteio com policiais do DOPS na cidade de São Paulo, quando faleceu Luiz Fogaça Balboni.

Artigo de revista
Sou um homem realizado em tudo. Realidade, São Paulo, 1971. Entrevista com Sérgio Fleury que afirma ser a favor da pena de morte em casos específicos (segurança nacional, estupro seguido de morte e latrocínio). Conta que viu a morte de Luiz Fogaça Balboni, de Joaquim Câmara Ferreira e de Carlos Marighella, na qual auxiliou com apenas "um tiro". Declara ser uma pessoa religiosa, pobre, além de realizada e tranqüila por fazer aquilo que gosta.

Laudo de exame de corpo delito
Laudo de exame do IML/SP, de 26/09/69, realizado por Irany Novah Moraes e Antônio Valentini.

Requisição de exame de cadáver
Requisição de exame ao IML/SP, solicitada pelo DOPS/SP, em 25/09/69. Indica morte por disparo de arma de fogo, a esclarecer.

Ofício
Ofício de 25/09/69 do Delegado de Polícia do DEOPS para o Diretor do IML, informando que o DOPS nada tem a se opor quanto à liberação do corpo da vítima.

Ofício
Documento da Diretora Técnica de Divisão de Saúde para Vital Fogaça Balboni, enviado em 24/02/97, com a transcrição de informação prestada pela Divisão de Arquivo Médico sobre a morte de Luiz nos recintos do Hospital da Clinicas, da Faculdade de Medicina da USP, São Paulo. Informa que o paciente Luiz Fogaça Balboni foi atendido no Pronto Socorro a 24/09/69 devido a ferimento por arma de fogo, trazido por viatura do DOPS, vindo a falecer no dia seguinte.

Legislação
Projeto de lei de autoria do Vereador Rafael Martins de Castro, da Câmara do Município de Itapetininga, aprovado em 28/07/99, dando o nome de Luiz Fogaça Balboni, que nasceu na cidade, a uma rua da mesma. No documento, segue a justificativa para a lei com a história da militância e circunstâncias da morte de Luiz e um mapa da rua que está recebendo seu nome.

Parte de livro
Teles, Janaína (org.). Mortos e desaparecidos políticos: reparação ou impunidade? São Paulo: Humanitas - FFLCH/USP, 2000. p.172-176. Lista de nomes dos presos políticos cujas famílias receberam indenização do governo por este ter assumido a responsabilidade pela morte ou desaparecimento dos mesmos.


voltar
EREMIAS DELIZOICOV - Centro de documentação | DOSSIÊ - Mortos e Desaparecidos Políticos no Brasil
2002 - 2007 Todos os direitos Reservados