Lista de nomes
Pesquisa
  OK
Morto e desaparecido
Audiovisual
Bibliografia
Eventos
História
Legislação
Notícias
João Lucas Alves
Ficha Pessoal  
   
Dados Pessoais  
Nome: João Lucas Alves
Cidade:
(onde nasceu)
Canhotinho
Estado:
(onde nasceu)
PE
País:
(onde nasceu)
Brasil
Data:
(de nascimento)
3/11/1935
Atividade: Militar
   
Dados da Militância  
Organização:
(na qual militava)
Comando de Libertação Nacional COLINA
Brasil
Prisão: 8/11/1968
Rio de Janeiro RJ Brasil
Morto ou Desaparecido:
Morto
6/3/1969
Belo Horizonte MG Brasil
Clandestinidade
   
Dados da repressão  
Orgãos de repressão
(envolvido na morte ou desaparecimento)
Departamento (Estadual) de Ordem Política e Social/MG DOPS/MG ou DEOPS/MG MG Brasil
Departamento (Estadual) de Ordem Política e Social/RJ DOPS/RJ ou DEOPS/RJ RJ Brasil
Polícia do Exército PE Brasil
Médico legista:
(envolvido na morte ou desaparecimento)
Djezza Gonçalves Leite, João Bosco Nassif da Silva
   
Biografia  
   
Documentos  
Artigo de jornal
Transcrição do artigo intitulado: As torturas são aplicadas no Brasil sob a direção do Exército nos quartéis e nas dependências de todas as organizações policiais. Prensa Latina, Santiago do Chile, 21 nov. (sem identificação do ano). Informa que a Frente Brasileira de Informações, criada para romper a censura imposta pelo regime militar do Brasil, com sede em Paris, encaminhou a este jornal comunicado sobre os métodos selvagens aplicados aos presos políticos, sobre a morte de mais de 40 trabalhadores, estudantes e camponeses. Dentre as mortes, cita o conhecido líder guerrilheiro, Carlos Marighella, chefe da Ação Libertadora Nacional (ALN) e iniciador da luta armada no país. Outras mortes causadas pelos militares citadas no documento são: o ex-sargento João Lucas Alves, Severino Viana Colon, José Araújo Nóbrega (que era de fato, Eremias Delizoicov, mas foi identificado pela repressão como sendo deste outro militante), Hamilton Cunha e Fernando Borges de Paula Ferreira. O documento pertence ao arquivo do DOPS.

Artigo de jornal
Artigo intitulado "Lamarca levou cofre do Dr. Rui", sem fonte e data, com carimbo do DOPS de 24/09/69. Informa que o capitão Lamarca, em entrevista distribuída às agências internacionais, afirma que sua organização, a Vanguarda Armada Revolucionária Palmares (VAR-Palmares), está com o cofre de Ana Maria Benchimol Capriglione, amante do falecido governador Ademar de Barros e conhecida internacionalmente como Dr. Rui, no qual foram encontrados dois milhões e meio de dólares, em dinheiro. Lamarca esclarece que só se tornou um revolucionário após o golpe de 64. Assume a responsabilidade por 21 "expropriações financeiras" e, em contrapartida, relaciona os nomes de cinco companheiros assassinados pela ditadura, de janeiro a agosto de 1969: João Lucas Alves, Severino Viana Colon, Hamilton Cunha, Carlos Roberto Zanirato e Fernando Borges de Paula Ferreira.

Relatório
Documento do Serviço de Ordem Política e Social, em 08/11/68, onde é relatado seu interrogatório. Traz dados pessoais de João Lucas Alves e descreve sua vinda do Nordeste para o Rio Janeiro, mostrando-se uma pessoa sem vícios e trabalhadora. Consta que durante o interrogatório João manteve-se calmo. Está manuscrito: "suicidou-se no DOPS/BH". Possui carimbo do arquivo do DOPS.

Relatório
Página 2 de documento com denúncia de organizações de esquerda encontrado no arquivo do DOPS/SP. Possui lista dos brasileiros assassinados pela ditadura militar, cita três brasileiros inválidos e artigo do Estado de São Paulo de 13/05/70, questionando sobre pena de morte no Brasil em virtude de comissão especial de justiça a ser designada para julgar quatro acusados de terrorismo em Olinda, PE, que poderá condená-los à pena de morte. Na lista dos brasileiros assassinados constam: Carlos Marighella, Edson Luiz, José Guimarães, João Roberto, Chael, Padre Henrique (Antônio Henrique), Bernardino Saraiva, Carlos Roberto Zanirato, Carlos Schirmer, José de Souza, João Lucas Alves, Manuel Alves de Oliveira, Pedro Inácio de Araújo, Hamilton Cunha, Severino Melo, Severino Viana Colon, Reinaldo Pimenta, Fernando Ruivo (Fernando Borges de Paula Ferreira), Virgílio Gomes, Mário Alves, além de José Araújo Nóbrega.

Relatório
Relatório produzido pelo Comitê de Solidariedade aos Presos Políticos do Brasil em 02/73. Denuncia mortes de presos políticos aos Bispos do Brasil. Documento apreendido pelo DOPS em poder de Ronaldo Mouth Queiroz.

Ficha pessoal
Prontuário Civil do Instituto de Identificação de Pernambuco, de 14/07/77. Contém dados pessoais, características físicas, impressões digitais e uma foto pouco nítida do rosto de João Lucas Alves.

Artigo de revista
Guerrilheira quase emergente. Marie Claire, São Paulo, n. 122, maio 2001. Marilia Guimarães, ex-guerrilheira, fala sobre sua militância e, especialmente sobre o seqüestro de um avião no Chile, com o objetivo de levar 6 guerrilheiros para Cuba. Esse avião foi seqüestrado no dia 01/01/70 e a operação teve como chefe James Allen Luz. Cita o episódio em que foi intimada para depor sobre a compra de um mimeógrafo, em 02/69 e na delegacia lhe mostraram fotos de João Lucas Alves, seu amigo também envolvido na compra do mimeógrafo, que já estava preso, com o intuito de que ela o reconhecesse. Nessas fotos João aparecia todo machucado devido às torturas sofridas. O artigo encontra-se disponível no site: http://marieclaireon.com.br.

Interrogatório
Depoimento de um preso político à Segunda Auditoria da Marinha, em 27/05/71. Declara que em 1969 passou a integrar o Comando Nacional da Vanguarda Armada Revolucionária Palmares (VAR-Palmares) visando desenvolver reivindicações da classe trabalhadora e mobilizações para a instituição do socialismo; que sofreu coações e torturas por dois meses no DOI-CODI e na Polícia do Exército (PE); e que estranha o fato de Carlos Alberto Soares de Freitas, também integrante do Comando Nacional daquela organização, não estar presente, pois receia que tenha tido o mesmo fim de Chael Charles Schreier, João Lucas Alves, Eduardo Collen Leite, entre outros.

Ofício
Documento do Centro de Informações da Marinha (CENIMAR) para disseminação em vários órgãos de segurança de 06/02/69, informando sobre o furto de um fuzil do Exército por elementos fardados do Grupo Contra-Revolucionário em Belo Horizonte e sobre o material subversivo, que anteriormente fora apreendido em aparelho de ex-militares José Mendes de Sá Roris e de João Lucas Alves, no Rio de Janeiro, encontrado no veículo dos autores do assalto.

Parte de livro
Teles, Janaína (org.). Mortos e desaparecidos políticos: reparação ou impunidade? São Paulo: Humanitas - FFLCH/USP, 2000. p.172-176. Lista de nomes dos presos políticos cujas famílias receberam indenização do governo por este ter assumido a responsabilidade pela morte ou desaparecimento dos mesmos.


voltar
EREMIAS DELIZOICOV - Centro de documentação | DOSSIÊ - Mortos e Desaparecidos Políticos no Brasil
2002 - 2007 Todos os direitos Reservados