Lista de nomes
Pesquisa
  OK
Morto e desaparecido
Audiovisual
Bibliografia
Eventos
História
Legislação
Notícias
Helber José Gomes Goulart
Ficha Pessoal  
   
Dados Pessoais  
Nome: Helber José Gomes Goulart
Cidade:
(onde nasceu)
Mariana
Estado:
(onde nasceu)
MG
País:
(onde nasceu)
Brasil
Data:
(de nascimento)
19/9/1944
   
Dados da Militância  
Organização:
(na qual militava)
Ação Libertadora Nacional ALN
Brasil
Partido Comunista Brasileiro PCB
Brasil
Nome falso:
(Codinome)
Alves, Acrísio Ferreira Gomes, Valter Aparecido dos Santos
Prisão: 0/0/1973
São Paulo SP Brasil
Morto ou Desaparecido:
Morto
0/7/1973
São Paulo SP Brasil
Segundo dados levantados sobre o período, trata-se de morte sob torturas.
Clandestinidade
Morto
16/7/1973
São Paulo SP Brasil
imediações do Museu do Ipiranga
Segundo versão oficial, devido a tiroteio.
Clandestinidade
   
Dados da repressão  
Orgãos de repressão
(envolvido na morte ou desaparecimento)
Departamento de Operações Internas - Centro de Operações de Defesa Interna/SP DOI-CODI/SP SP Brasil
Agente da repressão:
(envolvido na morte ou desaparecimento)
Romeu Tuma
Médico legista:
(envolvido na morte ou desaparecimento)
Harry Shibata, Orlando Brandão
   
Biografia  
   
Documentos  
Artigo de jornal
Artigo sem fonte e data intitulado "Ossada de militante morto na Revolução é enterrada" (provavelmente de 1992). A ossada de Helber somente pôde ser enterrada pelos familiares e amigos 19 anos após sua morte. Morto sob tortura no DOI-CODI/SP, em 1973, Helber teve seus restos mortais localizados em uma vala clandestina no Cemitério de Perus, na mesma época em que os restos mortais de Emmanuel Bezerra dos Santos e Frederico Eduardo Mayr foram também localizados. A ossada encontrada foi identificada pela equipe da UNICAMP. O cortejo da chegada dos restos mortais do Aeroporto da Pampulha até a Praça Sete foi acompanhado por familiares, amigos, políticos e representantes de várias organizações de Direitos Humanos que se manifestaram contra os crimes cometidos pelo Estado durante a ditadura. A família enterrou os restos mortais de Helber em Mariana. O artigo informa que os restos de Helber foram encontrados no mesmo cemitério que Emmanuel e Frederico. De fato, os restos mortais de Emmanuel foram localizados no Cemitério do Campo Grande e os de Helber e Frederico no Cemitério de Perus.

Foto
Fotos de vários ângulos do rosto do cadáver, encontrada no DOPS/SP.

Foto
Foto de rosto

Relatório
Documento da repressão sem identificação do órgão que o produziu, relatando o tiroteio de Helber com agentes do DOI-CODI/SP no qual ele veio a falecer. Além disso, o documento informa sobre as atividades políticas de Helber José. Possui carimbo do arquivo do DOPS.

Relatório
Documento da UNICAMP de 1992 com laudo de identificação das ossadas de Helber. Com histórico da morte, descrição dos procedimentos para a exumação, os dados antropológicos, estudo comparativos dos dados antropológicos com as ossadas e fotografias de todo o processo de retirada da ossada do cemitério e o exame para a identificação, com a sobreposição de fotos do rosto de Helber e do crânio encontrada.

Relatório
Informação do II Exército, de 23/08/73, pertencente ao arquivo do DOPS. Relata que, em 13/07/73, elementos do DOI-CODI encontraram Luís José da Cunha na Av. Santo Amaro, na cidade de São Paulo que, ao receber voz de prisão, iniciou tiroteio que culminou com a sua morte. Um pouco antes de morrer, Luís tentou se apoderar de um carro ocupado por duas moças, ferindo-as também. A vítima portava documentos falsos em nome de José Mendonça dos Santos. Relata também que, em 16/07/73, elementos do DOI-CODI encontraram Helber José Gomes Goulart que, da mesma forma, iniciou tiroteio que levou à sua morte. Helber portava documentos falsos em nome de Valter Aparecido dos Santos e de Acrisio Ferreira Gomes. O documento traz a informação de que, em 11/72, Helber, em companhia de Aurora Maria do Nascimento Furtado, travou tiroteio com a polícia, mas ambos conseguiram fugir.

Relatório
Relatório das circunstâncias da morte de Helber José Gomes Goulart, elaborado pela Comissão dos Familiares dos Mortos e Desaparecidos Políticos em 16/04/96, e enviado à Comissão Especial Lei 9.140/95.

Folheto
Documento elaborado pelo Movimento Tortura Nunca Mais, Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Belo Horizonte, familiares e amigos de Helber. A descoberta da ossada de Helber, no cemitério de Perus em São Paulo, serve como resgate histórico da barbárie instaurada por meio da perseguição política e tortura pelo governo militar nas décadas de 60 e 70.

Folheto
Documento elaborado pela Comissão de Familiares de Desaparecidos Políticos com a versão oficial da morte de Helber em decorrência do tiroteio entre ele e agentes de segurança e a versão verdadeira, na qual Helber morreu devido às torturas sofridas na prisão no DOI-CODI/SP.

Ficha pessoal
Documento de 16/07/73 com dados pessoais e indicação dos nomes falsos. Possui carimbo do arquivo do DOPS.

Ficha pessoal
Documento do IML/SP, de 19/07/72, com os dados do óbito.

Ficha pessoal
Documentos da UNICAMP com questionário para antropologia forense preenchida por familiares.

Ficha pessoal
Documentos da Secretária de Segurança Pública para identificação de documentos com apenas o nome de Helber manuscrito.

Laudo de exame de corpo delito
Laudo de exame do IML/SP, de 19/07/73, realizado por Harry Shibata e Orlando Brandão.

Certidão de óbito
Documento emitido pelo Cartório do Registro Civil do Jardim América, em São Paulo, SP, de 19/07/73.

Requisição de exame de cadáver
Requisição de exame ao IML/SP, solicitada pelo DOPS/SP, em 16/07/73, informando a morte em decorrência dos ferimentos adquiridos em tiroteio com os agentes dos órgãos de segurança. Uma das cópias possui a letra "T" manuscrita, indicando tratar-se de indivíduo considerado terrorista.

Impressões digitais
Documento sem identificação e com várias cópias.

Ofício
Documento do II Exército para o DOPS/SP, de 24/07/73. Traz relação de pessoas da Ação Libertadora Nacional (ALN). Possui o carimbo do arquivo do DOPS.

Parte de livro
Teles, Janaína (org.). Mortos e desaparecidos políticos: reparação ou impunidade? São Paulo: Humanitas - FFLCH/USP, 2000. p.172-176. Lista de nomes dos presos políticos cujas famílias receberam indenização do governo por este ter assumido a responsabilidade pela morte ou desaparecimento dos mesmos.


voltar
EREMIAS DELIZOICOV - Centro de documentação | DOSSIÊ - Mortos e Desaparecidos Políticos no Brasil
2002 - 2007 Todos os direitos Reservados