Lista de nomes
Pesquisa
  OK
Morto e desaparecido
Audiovisual
Bibliografia
Eventos
História
Legislação
Notícias
Gelson Reicher
Ficha Pessoal  
   
Dados Pessoais  
Nome: Gelson Reicher
Atividade: Estudante universitário
UniversidadeUniversidade de São Paulo USP
   
Dados da Militância  
Organização:
(na qual militava)
Ação Libertadora Nacional ALN
Brasil
Nome falso:
(Codinome)
Emiliano Sessa
Morto ou Desaparecido:
Morto
20/1/1972
São Paulo SP Brasil
Av. República do Líbano, alt. do n. 1000, Ibirapuera
Os dados controversos indicam morte em função de cerco armado pelos órgãos repressores.
Clandestinidade
Morto
20/1/1972
São Paulo SP Brasil
Av. República do Líbano, altura do n. 800
Segundo Relatório do Ministério da Marinha, devido a tiroteio com agentes dos órgãos de segurança..
Clandestinidade
   
Dados da repressão  
Orgãos de repressão
(envolvido na morte ou desaparecimento)
Departamento de Operações Internas - Centro de Operações de Defesa Interna/SP DOI-CODI/SP SP Brasil
Médico legista:
(envolvido na morte ou desaparecimento)
Isaac Abramovitch
   
Biografia  
   
Documentos  
Artigo de jornal
Vítimas da repressão. Tribuna Operária, São Paulo, 16 nov. 1980. Informa o traslado, do Cemitério de Perus, dos corpos de Alex e Iuri Xavier Pereira, mortos pela repressão em 1972. Conta que os irmãos militavam no Rio de Janeiro no movimento secundarista, depois ingressando na Ação Libertadora Nacional (ALN). Alex foi assassinado aos 22 anos junto com Gelson Reicher em São Paulo, SP, em circunstâncias não esclarecidas. Apesar de sua morte ter sido noticiada pela imprensa, foi enterrado sob nome falso. Iuri, um ano mais velho que o irmão, estava num bar da Moóca, São Paulo, SP, com Ana Maria Nacinovic Correa e Marcos Nonato da Fonseca, quando foram atacados pela repressão.

Artigo de jornal
Quadro publicado em artigo do jornal O Estado de S. Paulo, São Paulo, 7 set. 1990. Traz os nomes, organização a qual pertenciam e data da morte de militantes, cujos corpos foram encontrados na década de 80 no Cemitério Dom Bosco, em Perus. Entre eles: Luís Eurico Tejera Lisboa, Iuri Xavier Pereira, Alex Xavier Pereira, Sônia Maria Lopes de Moraes Angel Jones, Joaquim Alencar de Seixas, Antônio Benetazzo, Carlos Nicolau Danielli e Gelson Reicher. Também traz as mesmas informações de militantes, cujos corpos podem estar nesse cemitério: Aylton Adalberto Mortati, Hioraki Torigoi, José Roberto Arantes de Almeida, Dimas Antônio Casemiro, Denis Casemiro, Devanir José de Carvalho, Frederico Eduardo Mayr, Flávio Carvalho Molina, José Roman, Honestino Monteiro Guimarães e Virgílio Gomes da Silva.

Foto
Foto original e preto e branco do corpo, encontrada no IML/SP.

Foto
Fotos originais e preto e branco de Francisco sozinho e com amigos em várias épocas.

Relatório
Relatório da Delegacia Especializada de Ordem Social, assinado por Edsel Magnotti, Delegado de Polícia, em 21/12/72. Acusa Antônio Carlos Bicalho Lana, Alex de Paula e Iuri Xavier Pereira, Gelson Reicher e José Pereira da Silva, marido de Gastone Beltrão, de participarem de assalto a um colégio em São Paulo, SP. Consta que Alex, Iuri e Gelson estão falecidos e decreta a prisão preventiva de Antônio e José. Possui o carimbo do arquivo do DOPS.

Relatório
Parte de relatório confidencial, sem identificação do órgão. Consta que Iuri Xavier Pereira participou de assalto a um colégio em Pinheiros, São Paulo, SP, tendo pichado suas paredes com a sigla da Ação Libertadora Nacional (ALN). Há informação de que os agentes de segurança localizaram o aparelho de Hiroaki Torigoi no bairro Jardim da Saúde, em São Paulo. Houve também tiroteio com os agentes no qual duas pessoas faleceram. Elas foram identificadas como Emiliano Sessa, nome falso de Gelson Reicher, e João Maria de Freitas, nome falso de Alex de Paula Xavier Pereira.

Relatório
Parte de documento produzido por organismo internacional, encontrado no arquivo do DOPS/SP, com nomes de pessoas mortas ou desaparecidas pela ditadura militar brasileira, seguidos de texto em inglês indicando alguns dados da morte e fonte da informação, a maioria da Anistia Internacional. São citados, entre outros: Fernando Borges de Paula Ferreira, Fernando Augusto da Fonseca, Gastone L. Beltrão, Gelson Reicher, Gerson Teodoro de Oliveira, Getúlio de Oliveira Cabral, Grenaldo de Jesus Silva, Hamilton Fernando Cunha, Hélcio Pereira Fortes, Heleny Ferreira Teles Guariba, Hiroaki Torigoi, Ísis Dias de Oliveira del Royo e Ismael da Silva de Jesus.

Relatório
Relatório das circunstâncias da morte de Gelson Reicher, elaborado pela Comissão dos Familiares dos Mortos e Desaparecidos Políticos, e enviado à Comissão Especial Lei 9.140/95.

Relatório
Relatório produzido pelo Comitê de Solidariedade aos Presos Políticos do Brasil em 02/73. Denuncia mortes de presos políticos aos Bispos do Brasil. Documento apreendido pelo DOPS em poder de Ronaldo Mouth Queiroz.

Ficha pessoal
Documento do IML/SP com dados do óbito, de 28/01/72.

Laudo de exame de corpo delito
Laudo de exame do IML, de 27/01/72, realizado por Isaac Abramovict e Antonio Valentini, em nome de Emiliano Sessa.

Certidão de óbito
Documento registrado no Cartório do Registro Civil do Jardim América, São Paulo, SP, a 21/01/72, com o nome falso de Emiliano Sessa. Apresenta carimbo do DOPS e a anotação à mão do nome verdadeiro.

Requisição de exame de cadáver
Requisição de exame ao IML/SP, de 20/01/72, em nome de Emiliano Sessa, com a anotação à mão do nome verdadeiro. Uma das cópias apresenta a letra "T" manuscrita, indicando tratar-se de indivíduo considerado terrorista e a outra possui carimbo do DOPS. Indica morte em decorrência dos ferimentos causados por violento tiroteio travado com os órgãos de segurança.

Ofício
Prestação de informação do delegado do DOPS/SP ao Juiz de Direito da Justiça Federal, em 26/08/72. Alega que Alex de Paula Xavier Pereira por ocasião de sua morte usava identidade falsa, tendo sido expedido o óbito em nome de João Maria de Freitas. O mesmo para Gelson Reicher, cujo óbito foi feito em nome de Emiliano Sessa. Seguem em anexo os documentos: requisição de exame, certidão de óbito, laudo de exame de corpo de delito e foto numerada do corpo.

Parte de livro
Teles, Janaína (org.). Mortos e desaparecidos políticos: reparação ou impunidade? São Paulo: Humanitas - FFLCH/USP, 2000. p.172-176. Lista de nomes dos presos políticos cujas famílias receberam indenização do governo por este ter assumido a responsabilidade pela morte ou desaparecimento dos mesmos.


voltar
EREMIAS DELIZOICOV - Centro de documentação | DOSSIÊ - Mortos e Desaparecidos Políticos no Brasil
2002 - 2007 Todos os direitos Reservados