Lista de nomes
Pesquisa
  OK
Morto e desaparecido
Audiovisual
Bibliografia
Eventos
História
Legislação
Notícias
Yoshitane Fujimori
Ficha Pessoal  
   
Dados Pessoais  
Nome: Yoshitane Fujimori
Cidade:
(onde nasceu)
Mirandópolis
Estado:
(onde nasceu)
SP
País:
(onde nasceu)
Brasil
Data:
(de nascimento)
19/5/1944
Atividade: Técnico em Eletrônica
   
Dados da Militância  
Organização:
(na qual militava)
Vanguarda Popular Revolucionária VPR
Brasil
Nome falso:
(Codinome)
Edgar, Japonês
Morto ou Desaparecido:
Morto
5/12/1970
São Paulo SP Brasil
Praça Santa Rita de Cássia
Clandestinidade
   
Dados da repressão  
Orgãos de repressão
(envolvido na morte ou desaparecimento)
Departamento de Operações Internas - Centro de Operações de Defesa Interna/SP DOI-CODI/SP SP Brasil
Agente da repressão:
(envolvido na morte ou desaparecimento)
Alcides Cintra Bueno Filho
Médico legista:
(envolvido na morte ou desaparecimento)
Armando Canger Rodrigues, Harry Shibata
   
Biografia  
   
Documentos  
Artigo de jornal
Folha de S. Paulo, São Paulo, 27 ago. 1979, p. 4-6. "Como a guerrilha, cercada, escapou do Vale do Ribeira", "Depois de 40 dias, o rompimento do cerco". Traz informações sobre um centro de treinamento da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR), localizado no Vale do Ribeira, o cerco que foi feito pelas forças armadas para desintegrá-lo e o confronto conseqüente do mesmo.

Artigo de jornal
A morte de Eduardo Leite, o Bacuri. Jornal da Tarde, São Paulo, 9 dez. 1970. Informa que o DOPS de Santos distribuiu um comunicado sobre a morte de Eduardo. Segundo a nota, Eduardo Leite foi localizado por uma diligência empreendida em São Sebastião, SP, a partir de informações colhidas em documentos apreendidos pertencentes a Yoshitane Fujimori. Eduardo Leite estaria escondido desde a prisão do líder Joaquim Câmara Ferreira, em 10/70, e fugiu um pouco antes do cerco ao seu refúgio, mas foi alcançado, vindo a morrer em tiroteio com seus perseguidores.

Artigo de jornal
Artigo intitulado "Quinze minutos de ação", (sem data e fonte). Relata o assalto de oito homens à agência do Banco Itaú que funciona no Hospital Nossa Senhora da Conceição em Porto Alegre, RS, que se identificaram por meio de panfletos como pertencentes ao Comando Yoshitane Fujimori, da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) e do Movimento Revolucionário. Segundo outra reportagem da época, o fato ocorreu em 12/70.

Artigo de jornal
A morte do violento Fujimore. Jornal da Tarde, São Paulo, 8 dez. 1970. Traz informações sobre a morte de Edson Neves Quaresma e Yoshitame Fujimore: descreve o material de divulgação e documentos da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) apreendidos no carro utilizado pelas vítimas e cita que a ficha de recolhimento de seus corpos foi preenchida com os nomes falsos utilizados pelos mesmos.

Artigo de jornal
Sua função: assaltar e matar. Jornal da Tarde, São Paulo, 8 dez. 1970. Traz informações sobre as atividades de Fujimore pela Vanguarda Popular Revolucionária (VPR). A identificação de Yoshitane como membro desta organização, ocorreu durante as investigações do assassinato do capitão americano Charles Chandler.

Foto
Fotos originais e preto e branco de rosto.

Foto
Foto do cadáver, encontrada no DOPS/SP.

Foto
Fotos originais e preto e branco do corpo. Possui cópia com carimbo do arquivo do DOPS.

Relatório
Documento do Serviço Secreto do DOPS, sem data, intitulado "Relação de vulgos conhecidos integrantes da VPR". A lista apresenta 40 codinomes em ordem alfabética, seguidos de respectivos nomes, quando identificados. Dentre eles, constam Onofre Pinto, Eduardo Leite, Carlos Roberto Zanirato, Antônio Raymundo Lucena, Yoshitane Fujimori, Hamilton Fernando da Cunha e Carlos Lamarca.

Relatório
Documento sem data, do DOPS, provavelmente parte de inquérito policial. Cita várias pessoas como Yoshitame Fujimori, que se encontra foragido, Hamilton Fernando da Cunha, que teria sido morto por um de seus companheiros em tiroteio com a polícia, e Marco Antônio Brás de Carvalho, que também teria morrido em tiroteio com a polícia.

Relatório
Lista do DOPS contendo 70 itens com nomes de pessoas (muitos se repetem), seguidos de codinomes e condição (preso, liberado, banido ou morto). Dez desses nomes podem ser identificados dentre os mortos e desaparecidos políticos pela ditadura militar: Helenira Rezende de Souza Nazareth, Yoshitane Fujimori, Carlos Lamarca, Eremias Delizoicov, Eduardo Collen Leite, Joaquim Câmara Ferreira, Arno Preis, Maria Augusta Thomaz, Márcio Beck Machado, Aylton Adalberto Mortati.

Relatório
Documento do Serviço de Informação, do DEOPS, de 11/5/70. Baseado no depoimento de algumas pessoas, informa que Yoshitane é membro da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) e que foi publicado na imprensa que a polícia estava à sua procura.

Relatório
Documento da Comissão Especial - Lei 9.140/95, em 30/01/96. Relatora: Suzana Keniger Lisboa. Referente ao requerimento de Milton Fujimore, irmão de Yoshitane Fujimori, e de Raimunda Quaresma de Freitas, irmã de Edson Neves Quaresma, para o reconhecimento das mortes e inclusão de seus nomes nos termos da Lei 9.140/95. Traz as circunstâncias dessas mortes e o voto de Suzana favorável ao deferimento dos pedidos.

Relatório
Relatório produzido pelo Comitê de Solidariedade aos Presos Políticos do Brasil em 02/73. Denuncia mortes de presos políticos aos Bispos do Brasil. Documento apreendido pelo DOPS em poder de Ronaldo Mouth Queiroz.

Ficha pessoal
Documento da Delegacia de Ordem Política e Social, de 04/03/69. Informa que Yoshitame é membro da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) e que poderia estar usando identidade de Koji Kondo, sargento do II Exército.

Ficha pessoal
Documento da Delegacia de Ordem Política e Social, do Paraná, de 10/01/77. Informa que Yoshitame é membro da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) e que saiu publicada na imprensa informação sobre seu julgamento pelo Conselho Permanente de Justiça Militar.

Ficha pessoal
Documento do IML/SP, sem data, com dados sobre a morte.

Laudo de exame de corpo delito
Laudo de exame do IML/SP, de 08/12/70, realizado por Harry Shibata e Armando Canger Rodrigues.

Interrogatório
Parte de interrogatório de Diógenes José Carvalho de Oliveira, na Delegacia Especializada de Ordem Política, sem data, mas com carimbo do DOPS de 23/06/69. Segundo as palavras do documento, Diógenes afirma que embarcou para São Paulo, no segundo semestre de 1967, com endereço de Onofre Pinto, a fim de tentar trabalhar. Encontrou-se com Onofre que disse estar em fase de iniciação uma nova organização clandestina de caráter "terrorista", denominada Vanguarda Popular Revolucionária (VPR), passando a reunir-se com ele e outros militantes, dentre os quais, Hamilton Fernando da Cunha e Yoshitane Fujimori. Conta que a organização foi crescendo e se estruturando. Além disso, afirma que manteve dois contatos com Carlos Marighella em 1968.

Interrogatório
Parte do auto de qualificação e interrogatório de preso político, na Delegacia Especializada de Ordem Social, sem data, mas com carimbo do DOPS de 23/06/69. A partir de um álbum de fotografias reconheceu, entre outros, Carlos Lamarca, Onofre Pinto, Hamilton Fernando Cunha, Marco Antônio Brás de Carvalho, Yoshitane Fujimori, Eduardo Leite e Antônio Raymundo Lucena.

Requisição de exame de cadáver
Requisição de exame ao IML/SP, solicitada pelo DOPS/SP, em 5/12/70, indicando morte em decorrência de tiroteio com a polícia. Documento pouco legível.

Depoimento
Depoimento de Ivan Akselrud de Seixas sobre a morte de Yoshitane e Edson.

Parte de livro
Teles, Janaína (org.). Mortos e desaparecidos políticos: reparação ou impunidade? São Paulo: Humanitas - FFLCH/USP, 2000. p.172-176. Lista de nomes dos presos políticos cujas famílias receberam indenização do governo por este ter assumido a responsabilidade pela morte ou desaparecimento dos mesmos.


voltar
EREMIAS DELIZOICOV - Centro de documentação | DOSSIÊ - Mortos e Desaparecidos Políticos no Brasil
2002 - 2007 Todos os direitos Reservados